Mostrando postagens com marcador Contos de Patricia Galis. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Contos de Patricia Galis. Mostrar todas as postagens

O mistério da casa na ponte (39ª Blogagem coletiva do Café entre amigos)

O mistério da casa na ponte 

Fernando tinha certeza que a casa na ponte onde morava há três meses realmente era mal assombrada.
No começo estava feliz pelo bom negocio que tinha obtido, mas agora temia que sua sanidade estivesse em risco.
Tudo começou com barulhos no porão, quando ia verificar não encontrava nada, depois foram os moveis que trocavam de lugar e finalmente as aparições. Toda noite Fernando via uma mulher em vários cômodos da casa chorando.
Resolveu obter informações sobre os antigos moradores e para sua surpresa em um site de fenômenos paranormais viu a foto e história da mulher que o estava perturbando.
A casa pertenceu a família Trevor por mais de 100 anos, e a ultima descendente que ali habitou era Jéssica Trevor uma bela mulher mas com uma vida repleta de tragédias.
A moça era a filha mais nova de Ivan Trevor um banqueiro bem sucedido, que aos 18 anos se apaixonará por um primo distante, casando-se então rapidamente.
Infelizmente seu marido faleceu oito meses depois em um acidente automobilístico.
Jéssica nessa época estava gravida de dois meses, o choque da noticia foi tão grande que perdeu seu bebê.
Entrando em uma depressão profunda, não resistiu a tanta dor e cinco meses depois morreu.
A casa na ponte permaneceu fechada por décadas até a compra pelo novo morador.
Fernando sentiu um vazio tão grande na alma que chorou com o desfecho da história, sentia pena daquela mulher que viveu tão pouco a alegria do casamento e nem chegou a ter em seus braços o filho.
Naquela noite ao preparar o jantar Jéssica apareceu e dessa vez não estava chorando, Fernando não ficou com medo e com todo carinho começou a falar com a mulher a sua frente, sem ao menos imaginar se estaria sendo ouvido ou não.
Daquela noite em diante Jéssica era sua companheira constante, o amor entre eles foi surgindo, o único problema era que cada um estava em uma dimensão.
Anos se passaram ele se aposentou, e raramente saia de casa. Na cidade todos tinham medo do homem que falava sozinho pelos jardins da mansão assombrada.
Fernando era feliz pois tinha encontrado o amor verdadeiro, dentro de seu coração contava os dias para que, finalmente pudesse tocar sua amada.
No dia em que completava 79 anos de vida, deitado em sua cama junto de Jéssica sentiu uma forte dor no peito.
Ao levantar-se para chamar uma ambulância, percebeu que seu corpo jazia inerte, de repente sentiu em seu ombro o toque da amada.
Foi quando notaram uma luz azulada surgindo na janela formando uma estrada, sem pensar em mais nada, deram as mãos e felizes demais seguiram em sua direção.
Agora com a certeza de que suas almas estariam juntas para sempre...Fernando e Jéssica finalmente descansariam em paz!!!!

********
********



Leia Mais

O amigo imaginário de Melissa Jones = 38ª Blogagem Coletiva

Primeira Blogagem coletiva de 2014

"O amigo imaginário de Melissa Jones"

Sofia estava muito preocupada com sua filha Melissa, há dois anos atrás a família havia se mudado para o sitio de seus pais, uns dias depois Melissa chegará com a novidade do amigo Vitor, o que não esperavam era que somente a menina o visse.
No começo Sofia não se importou pois ela mesma havia tido um amiguinho imaginário na infância, mas a filha estava passando dos limites.
Quando ia levar a menina para a escola muitas vezes tinha que ficar com a porta do carro aberta esperando Vitor entrar, e qualquer lugar que fossem Melissa dava um jeito de se afastar e ficava rindo gesticulando para o vazio.
A situação piorou quando Sofia e o marido decidiram voltar a viver na cidade e vender a propriedade, quando contaram a filha ela disse que Vitor jamais os deixaria partir.
Depois desse dia tudo aconteceu como um filme em câmara lenta. O corretor que levou um casal para ver a casa caiu da escada e quase morreu, ficando um tempo afastado do serviço pois era dono da unica imobiliária local.
O sogro de Sofia teve um infarte e seu esposo teve que ir visitar o pai rapidamente, deixando as duas sozinhas na casa, fazendo com  que os nervos de Sofia aumentassem.
No sábado seguinte Sofia pediu para Melissa convidar suas amigas para vir tomar um lanche da tarde e brincarem na piscina, já que o calor estava insuportável.
Melissa concordou, mas para surpresa de Sofia não apareceu ninguém somente "Vitor".
Ao ver a filha sentada a beira da piscina conversando com o nada, Sofia perdeu a cabeça e resolveu dar um basta nesta estória para sempre.
Pegou a filha pelo braço e a levou para o quanto de hospedes e parou diante do closet, onde supostamente Vitor morava.
Aos berros disse a filha que a partir daquele momento não queria mais ouvir falar de Vitor, pois sabia que era mentira, e que se ela insistisse a levaria para fazer um tratamento psicológico.
Melissa chorava compulsoriamente pedindo para a mãe não falar daquele jeito pois Vitor estava ficando irritado.
Sofia perdendo a cabeça de vez, abriu as portas do closet e gritou para a filha que ali não existia nada.
Melissa apavorada pediu para que sua mãe saísse dali imediatamente, pois Vitor estava muito bravo.
Pensando que a filha enlouquecera de vez, Sofia disse não e disse que no outro dia elas iriam até a cidade ver um especialista.
Quando foi sair do closet as portas se fecharam, e finalmente a mãe de Melissa pode ver Vitor.
Infelizmente o que aconteceu naquela casa ninguém pode explicar, na manhã seguinte a cidade inteira
não falava de outra coisa a não ser a morte inexplicável de Sofia.
Depois disso Melissa e seu pai viveram no sitio por alguns anos, alias a menina ficou órfã assim que completou 18 anos.
E todos na cidade tinham pena da moça que envelheceu sozinha, nunca se casou e a unica coisa que sabiam era que tinha um amigo chamado Vitor mas que infelizmente ninguém tinha visto.
Algumas bocas miúdas diziam que a moça era louca.

**************
*******************



Leia Mais

O segredo de Lisa Miller ( Ultima blogagem coletiva de 2013)

37 Blogagem coletiva (ultima de 2013)

"O segredo de Lisa Miller"

Outono de 1977
Contemplava no espelho seu vestido de noiva, finalmente o dia mais feliz de sua vida chegará, em alguns minutos se casaria com Vitor e seriam felizes para sempre, mas seu sorriso desapareceu ao recordar dos momentos de aflição que viverá dias atrás.
Lisa Miller era dois minutos mais velha que sua irmã gêmea Lara, fisicamente ninguém conseguia distingui-la.
Os anos se passaram e as meninas se tornaram lindas mulheres.
Um dia Lara chegou em casa e surpreendeu a todos dizendo que estava namorando Vitor Vermon, Lisa não acreditou na sorte da irmã, todos na cidade conheciam os Viermon, eram donos da maior fabrica de cosméticos do Brasil, tinham lojas de venda em vários pontos do mundo.
Três mêses depois durante a festa de aniversario da mãe de Vitor, ele pediu Lara em casamento e comunicou a todos que estavam com pressa pois ele teria iria morar nos Estados Unidos para cuidar nas novas aquisições de seu pai.
Naquela noite Lisa percebeu o quanto desejava o lugar da irmã e um plano para que isso acontecesse começou a ser elaborado em sua mente.
As irmãs estavam mais unidas do que nunca, Lisa acompanhava Lara em todos os eventos com o noivo, e procurava se informar de todos os detalhes das conversas do casal.
Certo dia Lisa convidou a irmã para irem tomar banho de cachoeira, e assim passarem um tempo juntas.
Lara aceitou e foram em uma cidade turística vizinha que possuía quedas maravilhosa. Com todo cuidado Lisa sugeriu a mais alta de todas e assim compraram alguns salgados e sucos e foram fazer um piquenique.
Encantadas com a beleza do lugar as irmãs falaram de muitas coisas, riram e nadaram. Não havia ninguém para as perturbarem e Lisa estava saboreando cada momento.
Ai cair da tarde e já arrumando as coisas para partirem Lisa chamou Lara para irem ver a queda de cima e tirarem uma foto para recordação, Lisa assentiu e subiram por uma escadaria que se escondia atrás da queda d'água.
Ao chegarem no penúltimo degrau Lisa que estava a frente virou o corpo rapidamente tentando empurrar a a irmã para trás, mas não conseguiu.
Lara olhou espantada para a irmã não entendendo direito o que havia acontecido.
Lisa não conteve a raiva guardada durante anos em seu coração e confessou a irmã que a detestava, não aguentava mais ser confundida o tempo todo e claro depois que matasse Lara iria tomar seu lugar e se casar com Vitor e assim todos pensariam que a sobrevivente seria Lara e não Lisa.
Investindo mais uma vez contra Lara para empurra-la escada abaixo não conseguiu o que desejava.
Lara conseguiu se desvencilhar rapidamente e segurou com força no corrimão atrás dela, Lisa perdeu o equilíbrio e caiu, seu corpo foi direcionado a queda d'água sendo encontrado dois dias depois.
- Lara você esta pronta?- Perguntou uma das madrinhas de Vitor atrás dela.
- Sim respondeu com um sorriso.
Ao descer as escadas Lara Miller fez um juramento, jamais contaria a alguém o que houve no alto da cachoeira. Não queria que seus pais sofressem mais e muito menos que a memoria de Lisa fosse manchada por saberem que tentará matar a irmã.
Balançou a cabeça e esqueceu tudo novamente, hoje era seu dia e seria perfeito.
O segredo de Lisa Miller estava seguro.

Voltando da lua de mel Lara foi buscar suas roupas na casa dos pais, quando foi embora o pai comentou o estranho comportamento do cachorro de Lara que em nenhum momento chegará perto e quando ela fez menção de acaricia-lo ele latiu muito, se afastou e foi para o quarto da Lisa.
Sem duvida estava ficando velho e confundindo a dona pensou subindo as escadas.

***************
Leia Mais

Ciúmes letal


Lana era uma mulher feliz, realizada, bem casada com princípios cristãos, pelo menos era o que tentava demonstrar a todos. Não trabalhava fora de casa pois seu marido tinha um bom emprego, o que rendia uma vida confortável ao casal que tinha apenas um filho.
Sua vida social era bem simples pois seu marido gostava de receber amigos em casa. Nessas ocasiões aproveitava para por em pratica suas receitas de culinária que havia aprendido em diversos cursos realizados pela Internet.. Mas tinha uma coisa que muito a incomodava o ciumes do marido.
Renato era um homem praticamente perfeito,aos olhos das pessoas, não deixava faltar nada em casa, era bom pai, não tinha vícios, um ótimo filho. Mas Lana tinha que pisar em ovos para não brigarem. Se estivessem em um Supermercado e por acaso algum homem lhe dirigisse um olhar, já sabia que ao chegar em casa iria enfrentar mais um ataque de seu marido.
O pior era que as agressões antes verbais passaram a ser física, isso atormentava demais sua vida e tinha vergonha que alguém descobrisse. Aos poucos Lana foi se fechando, nem as compras do mês tinha vontade de fazer, deixava uma lista de produtos que faltava em cima da mesa e seu marido ia sozinho comprar. Alguns amigos perceberam que aquela alegria que tinha antes e seu sorriso estavam desaparecendo, só não se entregava de vez por conta do filho que era a única razão de sua vida. 
Um dia Lana estava em casa terminando seus afazeres domésticos quando bateram palmas, achando que era o carteiro, saiu para ver se teria que assinar algum documento. Mas ao chegar no portão era um primo que não via há muito tempo. Lana ficou feliz e perturbada ao mesmo tempo, pois era obvio que teria que convida-lo a entrar, mesmo assim já foi dizendo que seu marido só chegaria em casa lá pelas 17h 00, mas seu primo apenas sorriu e disse que não tinha problema, pois até lá poderiam por a conversa em dia. Entraram e foram direto para a cozinha, Lana quase não conseguia esconder o pavor que começou a sentir dentro de sua alma, mas também não poderia expulsar seu primo da casa. 
Fez um café, e serviu um bolo de baunilha que acabar de pegar a receita em um site, colocou a mesa e começaram a conversar. Conforme o tempo foi passando, Lana foi esquecendo seus temores, pois a conversa foi girando em torno da infância deles, das festas de família, de primos que perderam o contato, dos pais, avós. Lana sentiu uma saudade e uma paz invadir sua alma que há muito não sentia. 
As horas voaram e quando percebeu seu marido estava parado entre a porta da cozinha e do corredor que dava para a sala. Imediatamente se pôs de pé e disse para seu marido que o rapaz ali era seu primo, se ele recordava, enfim falou tanto que até seu primo percebeu e rindo disse calma prima, é claro que conheço seu marido. Disfarçadamente pediu licença e foi ao banheiro. Começou a chorar e ficou desesperada, sabia que quando seu primo fosse embora com certeza uma briga iria acontecer, saindo do banheiro foi para seu quarto, ligou para sua irmã e pediu que ela pegasse seu filho na escola e levasse para casa dela, que depois explicaria e o buscaria mais tarde, assim evitaria que ele mais uma vez visse a briga que iria acontecer. Voltando para a cozinha depois de lavar bem o rosto, encontrou os dois conversando, seu marido estava impassível, não conseguia detectar nenhuma expressão em sua face. Talvez percebendo a tensão no ar, seu primo se despediu e foi embora, dizendo que numa outra oportunidade ficaria mais tempo, pois agora estava trabalhando como vendedor de remédios e ali era uma de suas rotas. 
Quando entraram Lana foi para a cozinha para preparar o jantar, mas ao passar pela porta do corredor, seu marido muito mais rápido já havia lhe agarrado por traz, segurando-a com tanta força que mal podia respirar, e logo em seguida começou a despejar sua ira em cima dela, como ousava em sua ausência receber um homem dentro de casa, que ela não era uma mulher de respeito e foi apertando mais e mais sua garganta. Lana tentava se soltar mas era inútil falar então impossível. Renato arrastou a pelos cabelos até o quarto, jogou a no chão e começou a chuta-lá sem piedade, percebeu que ele perderá totalmente a razão, até tentou dizer alguma coisa mas ao se levantar levou um chute no rosto que a deixou muito zonza, de repente, não estava sentindo mais nada, recordou do filho que tinha que pegar na irmã, e como faria para esconder as marcas do corpo para ninguém perceber que havia sido espancada. Também lembrou que estava descongelando uma carne e tinha que se recompor rapidamente para não atrasar mais o jantar.
Ao erguer o rosto e olhar para seu agressor levou mais um golpe terrível, neste instante por um breve momento, a imagem de seu filho lhe veio a mente e sorriu, ao fundo ouviu a voz do marido dizendo, ainda não está bom, se está sorrindo é porque deve ter feito algo errado mesmo, vou quebrar seus dentes e o golpe letal foi dado. Lana sentiu de repente um sono muito forte e uma paz foi tomando conta de seu ser, adormeceu.. No outro dia no jornal da cidade foi divulgado na primeira página com letras maiúsculas:

"Marido espanca mulher até a morte por ciúmes e depois se mata com um tiro, mas uma tragédia familiar"

*********
Imagem: Google
Leia Mais

Meus dias na escuridão



Acordei com o despertador tocando sem parar, estava tão atordoada que com um tapa acabei derrubando no chão e mesmo assim o infeliz continuou a fazer barulho, abri meu olhos mas estava escuro, achei estranho pois normalmente a esta hora o sol já penetrava entre minhas cortinas e atingia meu rosto.
Forcei a visão novamente e nada escuridão total, comecei a chamar meu marido que demorou um pouco para entender o que estava acontecendo, desesperada pedi que ligasse imediatamente para meu oftalmo e contar que não estava enxergando.Consulta urgente marcada, começou meu drama, coisas que fazia tão naturalmente como ir ao banheiro, escovar os dentes, tomar banho, me trocar e calçar os sapatos, de repetente se tornaram uma tragédia, bati com  a cara na porta, tropecei no chinelo, cai em cima da cama, mesmo com meu marido me ajudando nada foi fácil.
Indo para a clinica a sensação dentro do carro foi péssima, sem ter noção de nada a velocidade foi me causando enjoos, precisamos parar duas vezes para me recompor.
Minha mente fervia e não parava de pensar se ele bater o carro meu Deus para que lado eu vou não vejo nada, comecei a chorar desesperadamente.
Enfim a clinica, fui encaminhada para a sala, o médico começou o exame e perguntou se eu havia sofrido algum trauma, contei que na noite anterior tinha caído no jardim de casa quando fui fechar o portão, na hora senti uma tontura e minha visão chegou a ficar turva mas logo passou e fui deitar.
Depois de alguns minutos ele constatou descolamento de retina, teria que me submeter a uma cirurgia imediatamente caso contrario corria o risco de perder a visão para sempre.
Não consigo expressar o que passou pela minha mente, ficar cega não ver mais nada sinceramente preferia morrer, como iria cuidar da casa, dos meus filhos e marido.Com muita dificuldade fui encaminhada para uma ambulância e segui para o hospital onde tudo já estava sendo preparado.
Quando acordei estava no quarto com os olhos vendados, ouvi a voz do meu marido ao meu lado dizendo que a cirurgia tinha sido complicada, pois além do descolamento da retina tinha sido descoberto um tumor no olho esquerdo. Sem conseguir assimilar tudo que havia acontecido em menos de 10 horas lembrei do céu, do mar, do rosto do meu marido, filhos e pedi a Deus que tivesse misericórdia da minha situação.
Tive alta no outro dia e fui com olhos vendados para casa, teria que esperar uma semana até saber com certeza se tudo tinha dado certo ou não.
Foram os piores dias da minha vida meu humor ficou péssimo, tinha dificuldades em me locomover, tropeçava, não conseguia comer, coisas tão banais que não prestava atenção do dia a dia se tornaram obstáculos imensos, não podia acreditar que havia pessoas que moravam sozinhas e andavam pela rua sem a ajuda de alguém, valorizei neste instante todos os deficientes visuais.
Chegou o dia finalmente de retirar as vendas, as 14hr estava na frente do meu oftalmo que gentilmente pediu para abrir os olhos depois de retirar os curativos.
Abri os olhos com dificuldade comecei a visualizar a imagem da enfermeira a minha frente, mas algo não estava bem, rapidamente meu médico explicou que devido ao tumor no olho esquerdo a visão tinha sido comprometida completamente, mas o olho direito tinha sido restaurado com sucesso.
Senti uma tristeza profunda e ao mesmo tempo alivio, apesar de todo sofrimento que passei tinha sido privilegiada um olho estava bom e poderia ter uma vida normal.
Hoje percebo o quanto somos ingratos, fiz um juramento a mim mesma nunca mais deixarei de olhar a beleza deste mundo, quero aproveitar tudo que puder gravar na memoria pois não sabemos o que será amanhã.
Olhando para meu marido que emocionado deixou escapar uma lagrima sorri e agradeci a Deus, meus dias na escuridão foram terríveis mas serviu para que a verdadeira visão fosse restaurada em minha vida.

**********

Leia Mais

*A carta de despedida*


Bia chegou em casa com o coração acelerado, em suas mãos estava o resultado do último exame feito por Eduardo seu marido, há dois anos fora diagnosticado um tumor maligno em seu estômago, desde então suas vidas foram transformadas, o tratamento fora muito agressivo, e agora saberia se todo sofrimento dele tinha valido a pena.
Estacionou o carro na garagem, mas não tinha coragem de sair de dentro, olhando o envelope do laboratório um misto de esperança, alegria e agonia lhe deixaram de pernas bambas, ali estava uma palavra que faria toda a diferença em suas vidas, positivo ou negativo, tinha esperado tanto por esse dia, e agora já não sabia mais se queria ler o conteúdo. Entrou pela porta da sala e na casa um silencio horrível tomava conta de tudo, já passavam das 15:00 hrs, seu filho estava na escola e com certeza o marido repousava no quarto do casal. Entrou sem fazer barulho, olhou para a cama e não viu ninguém, então começou a andar pela casa chamando o nome do marido mais alto, não imaginava onde poderia estar, há muito tempo que  ele não saia do quarto para nada. Já ficando preocupada, só lhe restava a cozinha, ao entrar viu em cima da mesa um envelope grande com seu nome, imediatamente seu corpo sentiu um calafrio, abriu a carta e não acreditou no que estava escrito:

"Querida, ao ler esta carta já terei partido, se tivesse coragem diria isso olhando em seus olhos, mas como poderia tentar me fazer mudar de ideia não tive outra opção.
Agradeço demais tudo que fez por mim, tanto quando estava com saúde e podia ser seu marido de verdade, como na minha enfermidade. Nenhuma mulher poderia ter sido mais gentil e dedicada. Sei o quanto tem sofrido, quantas vezes te ouvi chorar escondida, se estou vivo até agora sem duvida é por ti e nosso filho.
Tenho que lhe confessar, não aguento mais viver assim dependente de tudo, como doí ver a mulher que amo, se desgastando pra cuidar de um peso morto, pois é isso que sou. Sei que jamais falaria isso para mim, por isso criei vergonha na cara e vou dar um basta. Lamento não ter a mesma fé que você, mas pelo menos uma atitude sei que poso tomar, peço que me desculpe, talvez esteja errado, sendo covarde, mas não tenho mais condições físicas nem emocionais para carregar este peso, faz mais ou menos um mês que estou meditando sobre isso e sei que vai dar tudo certo, por incrível que pareça nesses dias não senti mais aquela dor que me deixava alucinado, andei comendo escondido de ti durante a madrugada para me fazer forte, renovei nosso seguro de vida, deixo você e nosso filho bem, a casa esta quitada, e o restante da divida do tratamento será coberto pela empresa que trabalhei, já me despedi dos meus pais e dos seus.
Saiba que te amo mais que minha própria vida, por isso estou te libertando, quero que sejas feliz"..
Com todo amor do mundo,
Eduardo..

Chegando em casa sem dormir há mais de 50 horas teve um leve flash back, depois de ler a carta de Eduardo, ligou desesperada para seu irmão que era policial e informou a situação, começaram as buscas por ele, 11 horas depois acharam o corpo com um tiro na cabeça dentro do carro do marido, abandonado em meio a um canavial. Depois desta noticia, tudo foi horrível, a sensação da perda, o velório, as pessoas comentando, o desespero do filho, tudo isso fez com que ficasse amortecida, ainda não tinha chorado. Pediu para sua irmã levar o menino para casa dela, queria um tempo sozinha, mesmo contra todos, foi para casa.
Adormeceu assim que se jogou na cama, acordou já era de madrugada, chamou pelo marido, e ai veio a dolorosa realidade, nunca mais o veria. Foi para a cozinha para preparar um chá, ao pegar a xícara no armário viu o envelope do laboratório com o resultado do exame do marido, na correria dessas ultimas horas não tinha aberto ainda. Pensou que agora não importava mais, sentou-se, tomou um pouco do chá e olhou o envelope novamente, puxou para sí e abriu, ao ler toda emoção contida nessas ultimas horas veio a tona, chorou como nunca tinha feito em toda sua vida, o resultado ?
=Negativo para células cancerígenas, seu marido estava curado.

***********
Imagem: Google
Leia Mais
Postagens mais antigas Página inicial
Cursos Online 24 Horas
Cursos 24 Horas - Cursos Online com Certificado Entregue em Casa

Divulgue suas postagens

Tedioso: Os melhores links

Parceiro

Dados do blog

  • Top comentaristas

    Top Comentaristas by SemNome
  • Estatísticas do Blog

    Dias online
    Postagens
    comentários
  • PageRank

    PageRank
  • Assinantes do blog

  • Visitas do RoboGoogle

Divulgue nosso Banner

Link-me!